25 de janeiro de 2021

Coleção Primeiros Passos - Ninguém começa por cima...

Eggshells


Long way to the top... Quando a fome de cinema é maior que as condições de produção o jeito é se lançar ao risco. E o risco é o que caracteriza o início da aventura cinematográfica de muitos. Aqui vai uma seleção de filmes do começo de carreira de alguns posteriores gênios pop-star do fantástico. A seleção se concentra nos modernos e alguns vão ficar de fora, como George Romero e A Noite dos Mortos Vivos, George Miller e Mad Max, David Lynch e Eraserhead, só porque já vimos uma dúzia de vezes.

1963 Dementia 13Cult do comecinho de carreira de Francis Ford Coppola que havia feito algumas comédias sem expressão. Este é seu primeiro destaque, um thriller com clara influência de Psicose em suas reviravoltas e estrutura. Filhos, filhas e cônjuges se reúnem junto à matriarca em seu castelo Irlandês. Todos interessados na herança da família, todos com seus evidentes desequilíbrios e todos na mira de um maníaco que despacha as vítimas a machadadas! Produção B de Roger Corman, mas com um notável esforço em narrativa visual pelo diretor. Teve uma refilmagem interessante em 2017, mas sem o charme aventureiro deste original. 🎬🎬

Dementia 13
________________________________
1969 Eggshells • Primeiro de Tobe Hooper. Muita improvisação e filmagens aleatórias em um pasticho psicodélico. Grupo de jovens em uma casa de campo conversa sobre a possibilidade do local ser assombrado. Até que um deles desce até o porão e descobre uma semiesfera luminosa que parece interferir nas percepções. Praticamente sem roteiro, Hooper explora a técnica cinematográfica em uma infinidade de sequências experimentais. Stop-motion, timelapses, montagem aleatória, distorções de imagem, abstrações e espasmos luminosos em um conjunto bastante representativo da época. Mas é melhor você fumar algo antes... O máximo em produção é a explosão de um veículo e uma sequência com bexigas coloridas na floresta. 🎬🎬

Eggshells
____________________________
1970 Crimes of the Future • Segundo longa de David Cronenberg já explorando seus temas em anomalias físicas e engenhocas de "intromissão corporal". Simplório e praticamente sem produção, o filme se vale principalmente do design moderno em arquitetura para a simulação de futurismo. Em uma sociedade futura habitada por homens, doutores em uma clínica dermatológica precisam encontrar o cientista chefe, desaparecido depois de uma contaminação. Estilizado e difícil, mas com o encanto único dos alternativos. Sem diálogos e narrado como documentário por uma voz mecânica, sem emoção. 60 minutos de duração. 🎬🎬

Crimes of Future
____________________________
1971 THX1138 • Primeiro longa de George Lucas. Na linha opressiva das ficções distópicas e na proposta intelectualizdaa pós-2001, THX (Robert Duval) é membro de uma sociedade regida sob controle implacável até que ele e uma companheira se rebelam e tentam uma fuga do meio opressivo. Produção simplória de recursos, mas que consegue disfarçar genialmente suas limitações. Talvez esteja envelhecida, mas ainda guarda muito do valor de sua era de questionamentos antes de o próprio George Lucas inaugurar a era dos blockbusters de entretenimento com Star Wars🎬🎬🎬

THX1138
__________________________
1972 Last House on the Left (Aniversário Macabro) • Primeiro de Wes Craven já começando em alta com um dos mais violentos, incômodos e controvertidos filmes de sua era. Se o suspense praticado então, buscava variação e estilização como nos giallos ou no suspense inglês, Craven aqui foi para o extremo oposto: violência e naturalismo sem noção na história de duas garotas que vão a um show de rock e caem nas mãos de uma quadrilha de marginais. Abusado e desconcertante, tornou-se uma referência no terror moderno. Teve tantos cortes e restaurações que hoje nem se sabe mais o que é tesoura da censura ou produção precária. Livremente baseado no A Fonte da Donzela (1956) de Bergman. 🎬🎬🎬🎬

Last House on the Left
____________________________
1972 Something Evil • Segundo longa de Steven Spielberg (feito após Encurralado). Sandy Dennis e Darren McGavin compram uma casa de campo e mudam-se para lá com os dois filhos pequenos. Sandy percebe que alguma força ocupa o local e começa a se manifestar. Terror modesto feito para a TV e obedecendo a estrutura em blocos narrativos para intervalos comerciais. Mas Spielberg já demonstra força e invenção visual em um filme bastante dinâmico em seus 70 minutos. 🎬🎬

Something Evil
___________________________
1973 Die Zartlichkeit Der Wolfe (Adolfo & Marlene) • Um dos primeiros de Ulli Lommel, diretor cultuado entre os alternativos, cujos maiores sucessos foram Cocaine Cowboys e Bogeyman. Baseado nos crimes de que também inspiraram M e Le Vampire de Dusseldorf, o filme conta as ações de um assassino gay que despacha suas vítimas via estrangulamentos e mordidas no pescoço. E a carne dos corpos acaba sendo comercializada ilicitamente!!! Curioso exercício alternativo, estranho até para o mercado underground! O título faz confusão com outro filme de Lommel também chamado Adolfo & Marlene, de 1977. 🎬🎬

Adolfo & Marlene
________________________
1974 Caged Heat • Primeiro de Jonathan Demme. Com uma dinâmica melhorzinha do que a média das aventuras carcerárias WIP. Jacqueline Wilson (Erica Gavin) é presa em uma batida surpresa e na recusa em entregar seus comparsas de quadrilha, é condenada a uma pena pesada. Para escapar dos maus tratos, das brigas e até tratamentos de choque, aproveita uma confusão em trabalho de campo. Inventivo visualmente e com elenco desajeitado, mas com o atrativo de ter Barbara Steele como a cruel diretora cadeirante. 🎬🎬🎬

Caged Heat
___________________________
1974 The Cars That Ate Paris • Primeiro filme de Peter Weir. Em DVD: Violência por Acidente. Na cidadezinha australiana de Paris, os habitantes provocam acidentes pelas estradas para pilhar os bens dos acidentados em uma atividade que movimenta a economia local! Arthur perde o irmão em um acidente provocado e acaba sendo incorporado aos hábitos locais até que um grupo de rebeldes se levanta contra a situação e ataca a cidade no epílogo, causando mortes e destruição. Satírico e precário em roteiro, direção e atuações, mas ficou na história como pioneiro dos carros envenenados barbarizando a cidade e influenciando os posteriores Midnite Spares, Backroads Mad Max. E deixou para a cultura pop a imagem ícone do fusca-de-espinhos! 🎬🎬

The Cars That Ate Paris
___________________________
1976 Fighting Mad (Pelos Meus Direitos) • Terceiro longa de Jonathan Demme. Aventura na linha anti-stablishment habitual ao período pós-Easy Rider. Peter Fonda volta para a fazenda do pai que está sendo pressionado por uma grande corporação a deixar sua terras. As pressões eventualmente irão chegar ao extremo da violência e Fonda precisará se armar para reverter a situação. Thriller social enxuto, mas não tão violento como seria de se esperar pela época. 🎬🎬🎬

Fighting Mad
__________________________
1974 Seizure • Primeiro do Oliver Stone! Um charmoso desarranjo classe B sobre um escritor que vê materializados em sua casa, três perigosos personagens de suas criações. Todos os presentes ficarão retidos no jogo de ameaças das misteriosas entidades. Desajeitada produção que diverte por suas muitas cenas estranhas e elementos cult. Jonathan Price (o Barnabas da série Dark Shadows) é o escritor atormentado. Mary Woronov, de shortinho, foge pelas estradas desertas na madrugada. Martine Beswick e Herve Vilechaize (o Tatoo da Ilha da Fantasia) são entidades malignas! 🎬🎬

Seizure
_________________________
1981 Piranha II • James Cameron já ensaiava seu gosto por temas marítimos nesta sequência ao famoso terror de Joe Dante. Uma treinadora de mergulho investiga as misteriosas mortes em uma colônia de férias costeira e descobre uma raça de piranhas mutante que criou asas e pode atacar fora da água! Inserções desastrosas de humor em nível chanchada só pioram o que já era uma pobreza flagrante de produção. Efeitos sangrentos do mestre Giannetto de Rossi. Mas de Piranha II a O Exterminador do Futuro (1984), Cameron deu um invejável salto qualitativo e artístico. Ainda bem. 🎬

Piranha II
__________________________
1982 Angel (O Anjo da Vingança) • Primeiro do Neil Jordan. Stephen Rea é Danny, o jovem saxofonista de uma banda que se apresenta em uma casa noturna. Quando presencia o assassinato de seu empresário, e uma jovem testemunha, entra em colapso e começa a seguir pistas até poder vingar as mortes. Escapando da estrutura óbvia do filme de vingança, Angel é mais ou menos um "Desejo de Matar de arte" com diversas sequências musicais! Opta pelo drama do protagonista mais do que pela ação, até as reviravoltas finais. Consistente e marcante, garantiu a carreira do irregular Neil Jordan que logo em seguida faria o cultuado A Companhia dos Lobos. 🎬🎬🎬

Angel
_____________________________
1983 Le Dernier Combat • Primeiro de Luc Besson. Uma divertida variação em aventura apocalíptica. Homem isolado em um mundo destruído, precisa fugir de sua morada quando atacado por um grupo de saqueadores. Escapando em seu ultraleve, encontra um doutor que protege e cuida de sua companheira mantendo-a enclausurada em suas instalações. Participação de Jean Reno como um ardiloso salteador. Fotografado em preto e branco e utilizando ambientes abandonados como cenário e restos industriais para compor sua mobília e figurinos, o filme não tem diálogos e caracteriza-se como um exercício em produção precária. Simpática trilha de jazz-pop de Eric Serra que seria colaborador de Besson em seus filmes. 🎬🎬

Le Dernier Combat
___________________________
1985 Nomads (Delírios Mortais) • Primeiro de John McTiernan. Lesley Anne Down é uma doutora que atende um homem muito ferido em seu plantão. Antes de morrer ele sussurra uma frase que colocará a doutora em choque. Entrando em um estado de transe ela revive o passado do antropólogo que fotografa grupos nômades e descobre uma gangue urbana que pode ser integrado por entidades milenares. Dinâmico e intrigante suspense com um constante senso de opressão por sua fotografia noturna e um ótimo uso de recursos de linguagem: flash-back, alternância de montagem, câmera lenta, tudo potencializando uma narrativa bastante envolvente. 🎬🎬🎬🎬

Nomads
___________________________
1987 Bad Taste • Primeiro do Peter Jackson. Alienígenas na Terra usam humanos como matéria-prima para uma rede de restaurante interplanetária. Originalmente planejado como um curta, o projeto foi expandido com capital extra e tornou-se um inventivo e anárquico mix de ficção científica, terror e escatologia! O próprio diretor integra o elenco fazendo dois papéis. Dinâmico e repleto de ideias malucas, garantiu a carreira do diretor, que em seguida faria o igualmente anárquico Meet the Feebles (1989) e o sucesso Braindead (1991). 🎬🎬🎬

Bad Taste
___________________________
1993 Cronos • Primeiro do Guillermo Del Toro. Um bem recebido conto de horror sobre um antiquário que descobre um artefato criado por um alquimista medieval. O uso da engenhoca pode dar vida eterna ao usuário, mas o transforma em uma espécie de vampiro: imortal, mas que necessita de sangue humano para sua continuidade. Engenhosa produção que disfarça muito bem sua origem B em um resultado simpático e com interessante espaço ao drama. 🎬🎬🎬

Cronos
____________________________
1993 Accion Mutante • Primeiro de Alex de La Iglesias. Grupo de rejeitados sociais planeja assaltos e ataques a burguesia. Veja o post.
____________________________
1996 Tesis (A Morte Ao Vivo) • Primeiro de Alejandro Amenabar. Ana Torrent é Angela, uma estudante trabalhando em uma tese sobre imagens violentas na cultura moderna. Quando conhece um estudante, fã de filmes de terror e filmes marginais, descobre que o desaparecimento de uma aluna da faculdade pode estar ligado a uma rede de produção snuff! Grande suspense em referência à cultura pop-trash feito com devoção de fã. Um pouco extenso no desenvolvimento de suas situações, mas um notável show de direção. 🎬🎬🎬

Tesis
_____________________________
1998 Seul Contre Tous • Estreia de Gaspar Noé já causando neste assustador estudo sobre reclusão. Conta a vida desajustada de um açougueiro que após cumprir pena tenta reconstruir a vida em subempregos e um novo relacionamento. Com um personagem que pouco expressa verbalmente, o filme é todo narrado em um monólogo interno que manifesta ódio e desorientação. O açougueiro não é um alienado, mas um personagem perdido em uma configuração social excludente e o filme ganha uma dimensão assustadora no retrato de um meio social caótico no qual a reciprocidade se manifestará por vias violentas. 🎬🎬🎬🎬

Seul Contre Tous

Nenhum comentário:

Postar um comentário