13 de fevereiro de 2019

Antonius Rex

Antonius Rex

La musica del buio! Grupo/projeto do guitarrista milanês Antonio Bartoccetti do final dos anos 60! Um som de difícil classificação. Apareceu em listagens de rock progressivo por seu grande espaço a longas passagens instrumentais, mas também tem um som fortemente referente à cultura gótica que ainda nem era relacionada ao pop-rock em fins dos anos 60! Também não dá pra inseri-lo no rótulo hard-rock ou heavy. Então, o que dizer do projeto que soa mais como trilha sonora de filme (de terror) com suas combinações de órgão acústico e guitarras saturadas de distorção antes mesmo de Tommy Iommi fazer história com sua SG encapetada?
Experimentalista e aventureiro, Bartocetti gravou o primeiro álbum em 1969, In Cauda Semper Stat Venenum com uma bela e assustadora capa gótica e temas com muitas passagens de órgão. Totalmente anti-convencional e anti-comercial em seu tom constante de marcha-fúnebre. A faixa Triumphatos Sad se assemelha a um heavy com sua guitarra distorcida, base de piano e percussão em tímpanos. Na época o grupo ainda era chamado Jacula (talvez o nome de uma bruxa medieval) e voltaria em 1972 com Tardo Perde in Magian Versus. Mesma imagem da capa anterior, ao que parece, um monge comendo restos humanos em uma sepultura aberta (!!!). Desta vez, capa colorida. E os mesmo climas fúnebres para órgão. Destaque da beleza espectral da valsa Jacula Valzer (uma das preferidas do Black Phillip!). A maior parte desses dois primeiros álbuns são mérito do tecladista Charles Tiring cujo trabalho em nada se assemelha à prática dos progressivos ou mesmo a improvisos jazzísticos. Veja o tema In Old Castle, no segundo álbum, um solo de órgão acústico, expressivo, solene e misterioso. Em uma entrevista concedida ao site italianprog revelam influencias progressivas (Van Der Graaf, Genesis, Fripp) e comentam sobre a carreira e a pouca exposição na mídia devido aos discos de baixas tiragens.

Com a saída de Tiring, o grupo muda o nome para Antonius Rex. Doris Norton assume os teclados e entra o baterista Albert Goodman. Gravam Neque Semper Arcum Tendit Rex em 1974, sempre insistindo nos títulos e profanações cantadas em latim e italiano pela voz firme e subterrânea de Antonio. Esse é um de seus melhores trabalhos com longas faixas de passagens distintas como suítes, a guitarra de Antonio aparecendo mais e Doris acrescentando efeitos em Moog. Destaque a Devil Letter com efeitos de passos, sinos, portas, grunhidos e risadas medonhas, como uma trilha de filme! A capa traz textos e símbolos ocultos/satânicos, inclusive o ZoSo usado por Jimmy Page. No site do grupo tinha uma foto de um risonho Dario Argento com o LP na mão!

Em 1977 lançam Zora e em 1978, Ralefun, ambos tentando uma linha mais melódica, canções curtas e mais facilmente acessíveis. Então aproximaram-se mais do que nunca do progressivo italiano. Ralefun é seu álbum mais conhecido e que teve melhor distribuição. Em Anno Demoni, de 1979 tentam o equilíbrio entre os pesados climas góticos e linhas mais melódicas. Jacula the Witch é uma cantiga de ninar macabra. Soul Satan é quase um pop-rock tradicional do mercado italiano. Praeternatural (1980) já antecipa a entrada dos equipamentos eletrônicos que caracterizariam a nova década e tem passagens instrumentais próximas de jazz-rock como a faixa-título. As novas tecnologias trouxeram novo vigor ao som do Rex.

Com a maior exposição nestes tempos de cultura digital ficou mais fácil localizar e conhecer a obscura história do grupo apesar de muita informação sobre as formações pereceram contraditórias (Doris Norton pode ter participado logo no segundo álbum do Jacula como Fiamma Dello Spirito!). Por sua vez, o Antonius Rex aproveitou a fama cult de tantos anos e divulgou com mais facilidade seu site, novos álbuns, LPs, DVDs e vídeos. Em 2005 lançam Magic Ritual e no ano seguinte Switch on Dark. Apesar das facilidades digitais terem tornado todos os sons muito parecidos no mercado moderno, o Rex continua ativo e gravando: Pre Viam (2011) é dos mais espectrais de sua carreira e Hystero Demonopathy (2012) é o último que se teve noticia. A tecladista Doris Norton desde meados dos anos 80 desenvolveu seu projeto pop-eletrônico paralelo às atividades do Rex.

Antonius Rex

Nenhum comentário:

Postar um comentário