12 de outubro de 2018

Giallo

Preludio Para Matar

Derivados de um cinema essencialmente gráfico que tem Psicose (1960) como um de seus maiores exemplos, o giallo foi um dos gêneros mais populares no início dos anos 70 e marcou época com sua estilização narrativa, assumido sadismo, erotismo e violência abusada. Seu ingrediente básico de roteiro era a decifração de um mistério narrada com um máximo de estilização gráfica.

O termo giallo (amarelo) designou o cinema de suspense italiano por causa da literatura pulp de suspense que era editada em livros com capas amarelas na Itália. Os giallos vinham sendo experimentados desde os anos 60 na produção italiana em filmes como Sei Donne Per L´Assassino (1964) ou Il Dolce Corpo Di Deborah (1969). Foi com L´Ucello Dalle Piume di Cristalo (O Pássaro das Plumas de Cristal, 1969) de Dario Argento que o gênero ganhou um modelo estético ideal, garantiu seu posto nas bilheterias e inaugurou uma série de títulos extravagantes. Argento praticamente recorreu aos fundamentos do gênero thriller e deu atenção principal aos aspectos técnicos da produção cinematográfica. O modo de narrar era mais importante do que a história contada. Dessa forma, ângulos, enquadramentos, montagem e efeitos fotográficos inusitados eram determinantes da proposta estética mais do que direção de atores ou encadeamento lógico da narrativa. Como Psicose, os filmes não significam nada além de si mesmos. Seu conteúdo é a técnica. Sua justificativa é o exercício em cinema. Mario Bava e Claude Chabrol são as referências precursoras no gênero. Bava com Sei Donne Per L´Assassino (1964) e Chabrol com A Double Tour (Quem Matou Leda?, 1959) podem ser apontados como precursores das ousadias estéticas e narrativas que Dario Argento e o cinema giallo intensificaram. Argento repetiu o modelo bem sucedido de Il Passaro em Il Gatto a Nove Code (O Gato de Nove Caudas, 1970) e 4 Mosche Nel Velutto Grigio (Quatro Moscas no Veludo Cinza, 1971).

Ansiosa por correntes bem sucedidas, a produção italiana do período investiu no novo fenômeno de bilheteria e rapidamente tivemos uma série de filmes com títulos excêntricos e com bichos incluídos. Com Lo Strano Vizio Della Signora Wardh (1971), o diretor Sergio Martino reafirma as convenções do gênero e estimula a série que viria: La Tarantula Dal Ventre Nero (1971), Il Diavolo Nel Cervello (1972), La Corta Notte Della Bambola di Vetro (1971), Cosa Avette Fatto a Solange (1972), Una Farfalla Com Le Alle Insanguinati (1972), a lista vai indo... Sergio pode ser o diretor mais importante do giallo depois de Argento. Ele seguiria no gênero com os respeitáveis, La Coda Dello Scorpione (1971), Tutti Il Colori Del Buio (1972) e com Torso (1973) antecipa o slasher americano (assassino de máscara, mortes na floresta e tal). Inútil comentar sobre a qualidade cinematográfica de cada obra, pois enquanto alguns filmes apenas repetiam de forma adequada, o nível de produção, elenco e trilha sonora (Perche Quelle Strane Gocce di Sangue Sul Corpo di Jennifer, 1972), alguns tropeçavam no nível B (La Notte Che Evelyn Usci Dalla Tomba, 1971) e outros procuravam variações ao se misturar ao cinema policial (Omicidio Perfetto a Termine Di Legge, 1975) ou de vanguarda (La Morte Ha Fatto L´Uovo, 1968). Recomendação do Black Phillip: veja tudo!

Daria Nicolodi

O período áureo para o giallo foi de 1970 a 1975 e apesar das fórmulas mais ou menos padronizadas o gênero produziu muita coisa interessante em termos cinematográficos. Dario Argento teria importância novamente ao filmar Profondo Rosso (Preludio Para Matar, 1975) e encerrar o ciclo clássico do gênero. A estilização de Profondo Rosso – nela incluída a trilha sonora do grupo Goblin – poderia ter dado novo impulso ao giallo mas praticamente o encerrou em alto estilo. 
A consequência de tanta produção foi a tentativa de inventar dentro do que já vinha de propostas estéticas alternativas, como no paranoico Shock (1977) de Mario Bava. Quanto à estilização, as produções apelaram à qualquer coisa, fosse a violência desmedida como em L´Ultimo Treno Della Notte (1975, versão de Last House on the Left, que é versão de A Fonte da Donzela), fosse na sutileza bem dosada do ótimo La Casa Dalle Finestre Che Ridono (1976). Mas foi parando por aí. Chega né? Como um assassino de modus operandi previsível o giallo iria decair nos anos seguintes. As novas gerações não tiveram o talento cinematográfico para levar o gênero adiante. The Killer Must Kill Again (1975) de Luigi Cozzi e Macabro (1980) de Lamberto Bava sustentam-se tecnicamente, mas deixam a desejar no uso da técnica cinematográfica, justamente um dos princípios dos giallos

E o gênero iria desaparecer na nova onda de filmes splatter, zumbis e canibais que tomaria a produção europeia na entrada dos anos 80. New York Ripper (1982) de Lucio Fulci é talvez o grande exemplo do momento. Ótimo na apelação violenta, mas equivocado esteticamente. Inclassificável seja como policial, giallo ou terror. 
Argento voltaria ao gênero em Tenebre (1981), Phenomena (1983) e Terror na Opera (1985), exercícios de estilização dentro da estilização. Com esses filmes, Argento passaria a reciclar suas próprias criações nos thrillers em trabalhos cada vez mais autorreferentes. Michele Soavi com o violento Deliria (O Pássaro Sangrento, 1987) e Pupi Avati com o respeitável Zeder (1983) configuraram bons exemplares de suspense/horror perdidos na enxurrada de produções consumidas na época de ouro do VHS. 
Argento e o Goblin voltariam em 2000, no filme Non Ho Sonno. O resultado foi previsível e de óbvio apelo saudosista, mas digno da fama dos envolvidos. Um ótimo giallo, infelizmente fora de sua época. Também são interessantes as revisitações mais recentes ao gênero como em Th3 Pit (2013), Amer (2010), L'étrange couleur des larmes de ton corps (2013) e Berberian Sound Studio (2012) que citam os giallos com paixão de fã.

Lista dos atrasados: Giallo (2009, Argento de novo). Tortura (L.Bava, 2006), 5 Bambole Per la Luna D´Agosto (M. Bava, 1970), Don´t Torture a Duckling (L. Fulci, 1972), E Tanta Paura (Paolo Cavara, 1976), Chi Lha Vista Morire? (Aldo Lado, 1972)


Nenhum comentário:

Postar um comentário