23 de outubro de 2017

Slasher

Wrong Turn
Quer que slasher? Fiquei com vontade de fazer uma lista de slasher só porque todo mundo fez uma e raramente eu vejo menção ao gênio Mario Bava que inaugurou o modelo como o conhecemos hoje. Slasher, todo mundo já sabe, é aquele filme em que um assassino misterioso vai matando alguém a cada cinco minutos de filme. Quando acaba o elenco, acaba o filme. Simples assim. E o grupo esta reunido por algum motivo comum: festejo, família, evento...

Mas então qualquer filme de matança pode ser um slasher?... mais ou menos: M, o Vampiro de Dusseldorf (1931) já falava de mortes em sequência. O Homem dos Olhos Esbugalhados (Stranger on the Third Floor, 1940), também estrelado por Peter Lorre, era sobre assassinatos. Historicamente são raízes do noir. E muitos film noir foram nessa onda. Mas evitavam, explicitar os crimes e os corpos. Sua área de ação era o suspense. Psicose viria a quebrar esse modelo com o ataque explícito a duas vítimas (faltou mais corpos para entrar nesta lista). E Jack o Estripador? É um personagem slasher? A série de dramas criminais góticos e vitorianos como Hangover Square (Concerto Macabro), Do Inferno ou O Médico e o Monstro vão ficar para outra seleção. O gênero slasher destacado aqui é referente mais à cultura pop contemporânea, de significado e consumo imediatista.

Com o diretor italiano Mario Bava o detalhismo dos crimes e o body count tomou as telas mais explicitamente nos anos 60 em filmes direta ou indiretamente influenciados por Psicose. Alguns de seus filmes nem foram exibidos no mercado americano por causa da exposição de violência. Hoje são vistos como pioneiros do que o cinema americano viria a fazer na década de 80.


O gênero encontraria sua forma ideal em Sexta Feira 13: com os personagens desprotegidos, em um ambiente desconhecido (a floresta) e em quantidade suficiente para preencher o tempo de duração do filme com mortes criativas. Se fossemos ver a questão da qualidade cinematográfica enquanto forma, aí a conversa seria outra. Mas Sexta Feira 13 fez seu sucesso pela simplicidade de trem-fantasma e as bilheterias agradeceram.

No cinema contemporâneo o gênero teve uma reativação. Fosse como comédia, como citação ou descarada reativação das séries antigas, afinal é um formato consolidado nas bilheterias e a produção não pode parar. Então tivemos algumas coisas legais no slasher-redux como Wrong TurnHatchetHaute TensionTimber Falls e Wolf Creek entre diversos outros.

Claro que esse tipo de lista aqui proposta é sempre duvidosa, subjetiva e sujeita a falhas, afinal são só 20 destaques em mais de 50 anos de cinema! Já vi que ficaram de fora filmes como Museu de Cera (1953, mais próximo da tradição gótica), os estilizados como O Abominável Dr Phibes (1971), outros baseados em casos reais como O Estrangulador de Rillington Place (1971), Henry, Retrato de Um Assassino (1986) ou sobrenaturais como Freddy Krueger, Chuky etc. Seja como for, aí vão 20 peças emblemáticas do slasher-pipoca

Sei Donne Per L´Assassino
1964 Sei Donne Per L´Assassino • Um assassino mata modelos de uma companhia de moda, em busca de um diário que pode incriminá-lo. A estética impecável do genial Mario Bava traz aqui o que pode ser considerado o proto-slasher que orientaria o gênero. Sua forma de roteiro parte das histórias pulp de mistério criminal com a diferença de explicitar o ato violento. Aos 5 minutos já temos closes de mutilação e intimidades expostas. E o assassino se diverte com estrangulamento, iron claw, e queimando a face de uma vitima no forno, no momento mais violento do filme. Esteticamente remete à tradição do criminoso de chapéu e luvas pretas, mas em uma encenação exuberante, barroca, de luzes e cores que o aproxima da dinâmica das histórias em quadrinhos. 😈😈😈😈

1971 Bay of Blood • Outro Bava. Depois do assassinato de uma condessa, diversos interessados em suas propriedades se reúnem, mas um assassino interfere em seus planos. Terror estético exemplar da capacidade do fotógrafo/diretor. Bay of Blood é um primor em narrativa visual e até antecipou algumas ideias do slasher americano! Mais no post.

Torso
1973 Torso • Grande suspense da boa safra do giallo. Grupo de garotas passa temporada em um casarão isolado. Na comunidade próxima, um assassino faz vítimas. Finalmente ele chegará ao casarão onde as garotas serão mortas e desmembradas. Suzy Kendall é a heroína que procura se ocultar e pedir ajuda à vizinhança distante. Luc Merenda (que começou carreira em filme de Walter Hugo Khouri) é o herói. Torso inovou em sua violência e antecipou clichês do slasher americano com o assassino mascarado, as mortes na floresta e uma dose de sadismo maior que a média. O filme também brinca genialmente com a situação de Suzy em um paralelo com o espectador: isolada no casarão e assistindo horrorizada os crimes no local. Um destaque bastante curioso é a trilha sonora jazzística dos irmãos Guido & Maurizio de Angelis.  😈😈😈😈

Theatre of Blood (As Sete Máscaras da Morte)
1973 Theatre of Blood (As Sete Máscaras da Morte) • Entre os melhores momentos de Vincent Price. Ele faz um ator shakespeareano cuja produção teatral em cartaz é massacrada por um grupo de críticos esnobes. Price tenta o suicídio mas é salvo e acolhido por mendigos. Prepara então sua vingança matando os críticos em encenações de mortes baseadas em peças de Shakespeare. Cômico e macabro como poucos filmes conseguiram e com o ator no auge da comicidade e canastrice camp com suas declarações dramáticas, disfarces (o meu preferido é o cabeleireiro!) e provocações com as autoridades. Obrigado, Vincent, seu coração estará sempre conosco...  😈😈😈😈

1974 Black Christmas • Clássico do gênero e que ajudou a modelar o slasher americano. Grupo de garotas de uma republica recebe constantes chamadas anônimas até que maníaco se instala no local e começa a matá-las. Esse já tem post.

O Massacre da Serra Elétrica
1974 O Massacre da Serra Elétrica • Um dos maiores clássicos do terror em todos os tempos! Ficou proibido no Brasil, na época. Grupo de jovens visita sua moradia de infância em região pouco habitada e são atacados por maníacos locais. Baseado no caso real do assassino Ed Gein. Um dos filmes visualmente mais espetaculares do gênero em seu naturalismo nauseante e detalhes macabros como ossos na mobília ou peles em abajur! Ainda hoje um filme marcante, incômodo e insuperável! Um pouco mais coments em Top 10 do Black Phillip. 😈😈😈😈😈

The Town That Dreaded Sundown
1976 The Town That Dreaded Sundown • Produção B americana muito curiosa por seu conteúdo. Foge um pouco às regras do slasher por não ter vítimas pertencentes a um grupo fechado. É baseada em fatos reais sobre assassinatos em série ocorridos em Texarcana no final dos anos 40. O veteraníssimo dos faroestes Ben Johnson é um delegado chamado para caçar o misterioso assassino que ataca sempre encapuzado e faz diversas vítimas na cidade. O filme oscila estranhamente entre alívio humorado e crimes bem violentos. Esteticamente até prevê o gênero nos anos 80, com suas externas em florestas, matanças de forma variada e bizarrices. Entre elas, a cena em que o maníaco fixa uma faca na vara de um trombone e esfaqueia a vítima com os movimentos do instrumento!!! Teve uma curiosa sequência/homenagem em 2014.  😈😈😈

1977 Rituals • Pioneira e pouco citada produção canadense sobre um grupo de doutores quarentões que fazem uma excursão de férias para visitar a wild life em florestas e lagos. E a excursão fica wild mesmo quando um assassino começa a segui-los e a matar! Mais no post.

Halloween
1977 Halloween • O melhor de John Carpenter. O clássico que sedimentou o slasher americano e serviu de modelo para os que vieram depois. Comercialmente foi um dos mais bem sucedidos filmes dos independentes americanos. E surpreendeu com sua abertura chocante com o garoto Michael Myers assassinando sua irmã! Anos mais tarde Michael escapa do sanatório e volta a atacar em sua velha comunidade. O filme explora genialmente os espaços visuais indo de ruas desertas ao confinamento do armário em que Jamie Lee Curtis se esconde do assassino. 😈😈😈😈😈

Sexta Feira 13
1980 Sexta Feira 13 • O que dizer aqui? Clássico? Influente? Mito? Sexta Feira 13 é um fenômeno pop que se infiltrou na cultura contemporânea com seu sucesso por pelo menos três décadas! Apelando às bases estruturais de um suspense, o filme dispensou maiores ambições e se caracterizou como um passeio de trem-fantasma. Simples e acessível. O modelo de roteiro sobre grupo de jovens que passa temporada em um acampamento à beira do Crystal Lake e são atacados por um assassino, serviu a incontáveis produções posteriores que variaram em qualidade. A manutenção do personagem Jason dura até hoje em continuações, variações, reboots, sátiras e games. Parece que esse não morre mais mesmo... 😈😈😈

1980 Maniac • Suspense que alcançou merecida fama cult. No elenco dois ícones do cinema B: Joe Spinel, que foi comparsa de Stallone em meados dos anos 70 e Caroline Munro, a musa pop de inúmeras produções inglesas. Joe é um maniac que ataca pelas ruas, assassina mulheres e tem manequins como única companhia. Veja mais no post.

My Bloody Valentine
1981 My Bloody Valentine • Entre as inúmeras cópias e consequências de Sexta Feira 13, este Dia Dos Namorados Macabro fica na média de qualidade como um representante idôneo do período. Em uma comunidade de mineradores, jovem traumatizado por ter ficado soterrado, volta a cidade nos festejos do Dia dos Namorados para se vingar dos que negligenciaram seu resgate. Como vários filmes do período, este merece uma conferida agora em cópia digital, uma vez que a ótima fotografia original nos subterrâneos sufocantes das minas, havia ficado muito prejudicada nas cópias VHS. Teve uma refilmagem mediana feita em 3D em 2009. 😈😈😈

Alone in the Dark (Noite de Pânico)
1982 Alone in the Dark (Noite de Pânico) • Esse escapa um pouco das regras do gênero só porque tem três assassinos em vez de um só. Mas com Jack Palance, Martin Landau e Donald Pleasence no mesmo filme não há o que reclamar! Três maníacos escapam de um sanatório em uma noite de falta de energia. Seu objetivo é matar o doutor substituto e invadem sua casa. Pleasence é o diretor da clínica e parece que também tem seus parafusos meio soltos. Tom Savini fez o cadáver que aparece na cena de delírio de uma das personagens. Com sua estrutura diferente do padrão, Alone in the Dark é um dos mais destacados thrillers de seu período. O diretor Jack Sholder faria depois o terror-ficção The Hidden (O Escondido). 😈😈😈

Sleepaway Camp
1983 Sleepaway Camp • Clássico fiasco do independente americano. Em um acampamento de férias, grupo de jovens rebeldes começa a ser morto por misterioso assassino. O organizador desconfia de Ricky, sempre metido em atritos para proteger Angela sua prima reclusa e vítima constante dos bullyings e maus tratos que recebe de vários presentes. O filme se tornou um cult às avessas por seu franco amadorismo: elenco fraco, direção frouxa e com roteiro vergonhosamente primário. Mas surpreende nos excelentes truques de maquiagem e mutilações e no conteúdo homossexual tão importante à trama. Uma comédia involuntária com interpretações caricatas, diálogos medonhos, a apatia de Angela, os marmanjos usando shortinho justo e a pobreza cênica geral no limiar do trash movie! Um clássico exemplo do "tão ruim que é bom" e com um dos finais mais bizarros já vistos! 😈😈

Silent Night, Deadly Night (Natal Sangrento)
1984 Silent Night, Deadly Night (Natal Sangrento) • Billy é o garoto mais azarado do cinema. Seu avô internado o atormenta com histórias cruéis de Papai Noel. Na volta pra casa, papai e mamãe são mortos a tiros pelo bom velhinho. Órfão, ele tem que ir para um internato onde a madre superiora o pressiona até o garoto bater no Papai Noel em serviço. Marmanjo, Billy trabalha em uma loja de brinquedo até que seu chefe tem a brilhante ideia de vesti-lo de Papai Noel para os festejos natalinos! O pobre Billy pira de vez e sai matando! E mata sem motivo. É só correr que ele corre atrás! Com uma história dessas não é surpresa que a direção assumisse a comicidade. Ou esse negócio é sério?! Eu ri um bocado da sucessão cômica de eventos desajeitados. Pelo menos tem a Linnea Quigley quase vestida! Sucesso B que gerou uma série nos tempos do consumo em VHS. 😈😈

1987 O Pássaro Sangrento • Maníaco escapa de sanatório e se instala em um teatro onde irá matar o elenco que ensaia no local. Cult italiano que buscou renovação estética no gênero. Veja no post.

Scream (Pânico)
1996 Scream (Pânico) • Genial variação ao gênero dirigida por Wes Craven que brinca com as convenções e regras do slasher. Maníaco faz vítimas em uma localidade submetendo-as a um cruel jogo de perguntas e respostas baseado na cultura pop dos filmes de terror. Quando um grupo de jovens estudantes se reúne em uma festa, o assassino tem a situação ideal para dar continuidade à matança. Mas a narrativa não se prende a um único modo de ação e mantém o filme dinâmico e repleto de surpresas do início ao fim sempre subvertendo os clichês do gênero e equilibrando perfeitamente o humor, as citações e a violência. 😈😈😈😈

2003 Wrong Turn • Grupo de amigos em viagem se perde em uma floresta e são atacados por três assassinos que roubam e matam vítimas na região. Um novo fôlego ao slasher in the woods nesta ótima produção que gerou cinco sequências de níveis variados. Veja mais no post.

Behind the Mask, the Rise of Leslie Vernon
2006 Behind the Mask, the Rise of Leslie Vernon • Equipe de filmagem grava o depoimento de um jovem disposto a se vingar na tradição dos grandes filmes slasher do cinema. O trio de reportagem acompanha fascinado o cuidadoso plano de Leslie para reproduzir o formato de um roteiro de filme de terror em sua gloriosa noite de matanças. Entre o mockumentary e a narrativa convencional, Behind the Mask cita filmes e personagens em uma brincadeira em circuito fechado como a que funcionara tão bem em Pânico. Obviamente o plano do rapaz sofrerá mudanças para incluir o trio de cinegrafistas na fila de vítimas. A variação no gênero é que estaríamos vendo um filme pela perspectiva do assassino prevendo as ações das vítimas. No elenco, participações cult de: Robert Englund (fazendo um tipo meio Dr Loomis), Zelda Rubinstein e Scott Wilson (que iniciou carreira como um dos assassinos do clássico A Sangue Frio). 😈😈

2011 Urban Explorer • Grupo de jovens faz visita guiada a galerias subterrâneas em Berlim, abandonadas desde a Segunda Guerra. Mas os bunkers dos militares ainda tem um zelador muito eficiente. Esse já tem post.

Nenhum comentário:

Postar um comentário